É pecado com certeza!…

            

           Esta lenda vai direitinha para Anúbis Domain, que vive numa terra maravilhosa, que tem um vulcão "espectacular",
 adormecido há 50 anos…
 
    Sentada à sombra de uma árvore, Maria quase não respirava com medo de que os outros se apercebessem de como estava feliz. Bendito o homem que convencera o pai a levá-las para ali. Nunca pensou que fosse gostar tanto de viver numa ilha e, perguntava a si própria se todas as ilhas do Mundo seriam assim tão bonitas!
  Tinham chegado do Continente havia pouco tempo. O pai, a mãe e mais 6 irmãs.
  João Grilo, assim se chamava o chefe daquela família, vivia triste e infeliz numa aldeia das Beiras. A terra não dava nada e nem sequer tinha um rapaz que o ajudasse. Deus só lhe tinha dado filhas.Alimentar tanta gente…
  Depois de muito magicar, decidiu que casaria 3 e mandaria 4 para o Convento. Maria foi a primeira a partir, deixando a mãe e as irmãs num vale de lágrimas.
  Quando chegou ao Convento até gostou, mas depois a vida complicou-se…tudo o que fizesse atraía sermões infindáveis, castigos e penitências de acordo com uma lista de pecados que parecia não ter fim…Se não acordasse ao primeiro toque era PREGUIÇA, se comia com prazer era GULA, se falava nas irmãs era INVEJA…
  De noite, chorava baixinho e pedia a Deus que a tirasse dali. Tanto pediu que foi ouvida!
  Um vizinho convencera o pai a integrar o primeiro grupo de colonos que ía partir para os Açores. Ele tratou de vender as terras, mas  a mulher impôs uma condição –  tirar Maria do convento e levá-la também.Ele não teve outro remédio…Embarcaram todos, levando apenas a arca dos enxovais, um machado, duas foices, uma sachola, quatro galinhas, duas ovelhas e uma ninhada de cachorros.
  Agora estavam ali a viver, à beira-mar, numa cabana feita de troncos; tudo o que precisavam tinham de fazer porque não havia nada! A mãe sentia saudades das feiras, das festas, das procissões…O pai dizia-lhe: _"SANTO CRISTO, mulher, dá tempo ao tempo…aqui tambem vai haver isso tudo"…  As raparigas reclamavam: "_Trouxemos os enxovais para casar com quem?", ao que o pai respondia que estavam para chegar muitos noivos portugueses e estrangeiros…
  Só Maria não dizia nada. Fechada no seu silêncio, saía de casa logo de manhãzinha e, corria pelos campos descobrindo pássaros que lhe vinham comer à mão, árvores e flores muito diferentes das que conhecia, frutas espinhosas…Durante algum tempo, limitou-se só a namorá-las… Depois, veio um dia em que se atreveu a apanhar uma que não comeu logo com medo que lhe ralhassem…
  Nessa manhã, decidira-se a provar. Instalou-se numa pedra e com uma faca foi cortando a casca, com gestos cautelosos para não se magoar nos picos. Por dentro a fruta era tenra e o sumo escorria. Impossível resistir mais! Era doce como o mel, tinha um cheiro suave e adocicado. Deliciada comeu quase tudo. Eis senão quando vê surgir a irmã mais velha…engasgou-se e gaguejou:" _Tu?…" perguntou aflita. _"O que tens rapariga, parece que viste o diabo, ficáste tão atrapalhada…mas porquê tudo isso?…questionou-a a irmã.
  _É que estou comendo este fruto e acho-o tão bom que… SÓ PODE SER PECADO!…
 
     Texto adaptado: Viagens e Aventuras/ Descobrimentos Portugueses  – CAMINHO 
 
 
 

One thought on “É pecado com certeza!…

  1. Espero que não seja pecado (lol), mas o fruto deveria ser mesmo saboroso.
    Obrigado pela dedicatória, gostei muito de ler (como sempre) os teus "escritos".
    Beijinhos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s