Temos 40% de pobres…

 

 
 

Dr. Fernando Nobre
"Temos 40% de pobres"
III Congresso Nacional de Economistas

 
O presidente da AMI, Fernando Nobre, criticou a posição das associações patronais que se têm manifestado contra aumentos no salário mínimo nacional.
Na sua intervenção no III Congresso Nacional de Economistas, Nobre considerou "completamente intolerável" que exista quem viva "com pensões de 300€ ou menos euros por mês", e questionou toda a plateia se "acham que algum de nós viveria com 450 euros por mês?"
Numa intervenção que arrancou aplausos aos vários economistas presentes, Fernando Nobre disse que não podia tolerar "que exista quem viva com 450 euros por mês", apontando que se sente envergonhado com "as nossas reformas".
"Os números dizem 18% de pobres… Não me venham com isso.
Não entram nestes números quem recebe os subsídios de inserção, complementos de reforça e outros.
Garanto que em Portugal temos uma pobreza estruturada acima dos 40%, é outra coisa que me envergonha…" disse ainda.
 
"Quando oiço o patronato a dizer que o salário mínimo não pode subir…. algum de nós viveria com 450 euros por mês? Há que redistribuir, diminuir as diferenças.
Há 100 jovens licenciados a sair do país por mês, enfrentamos uma nova onda emigratória que é tabu falar.
Muitos jovens perderam a esperança e estão à procura de novos horizontes… e com razão", salientou Fernando Nobre.
 
O presidente da AMI, visivelmente emocionado com o apelo que tenta lançar aos economistas presentes no Funchal, pediu mesmo que "pensem mais do que dois minutos em tudo isto".
Para Fernando Nobre "não é justo que alguém chegue à sua empresa e duplique o seu próprio salário ao mesmo tempo que faz uma redução de pessoal".
Nada mais vai ficar na mesma", criticou, garantindo que a sociedade "não vai aceitar que tudo fique na mesma".
 
No final da sua intervenção, Fernando Nobre apontou baterias a uma pequena parte da plateia, composta por jovens estudantes, citando para isso Sophia de Mello Breyner. "Nada é mais triste que um ser humano mais acomodado", citou, virando-se depois para os jovens e desafiando-os: "Não se deixem acomodar. Sejam críticos, exigentes. A vossa geração será a primeira com menos do que os vossos pais".
Fernando Nobre ainda atacou todos aqueles que "acumulam reformas que podem chegar aos 20 mil euros quanto outros vivem com pensões de 130, 150 ou 200 euros…
 
Não é um estado viável…. 

Sejamos mais humanos, inteligentes e sensíveis
".
 

5 thoughts on “Temos 40% de pobres…

  1. É um consolo que encontremos na vida política ainda quem se enoje da injustiça que se aplica aos pobres; para muitos infelizmente este discurso remete-se a um arremedo barato do que seria o apelo de Gandhi, ou Madre Tereza de Calcutá; com este exemplo de Fernando Nobre vemos que nem todos os heróis morreram de overdose como escreveu ironicamente o Cazuza; não acredito num retorno nostalgico, mas num despertar de pessoas em posições importantes que façam diferença em em seus cargos políticos, cargos públicos, reitorias, diretorias de empresas, formadores de opinião; que tenhamos a felicidade de estas pessoas floresçam e acredito que temos muita gente boa por aí que só precisa chegar nestes postos. Parabéns a Portugal e que no Brasil também hajam imitadores de Fernando Nobre.

  2. O ter -se indignado sobre esta questão social perante uma plateia de economistas, por si só já é muito importante, mas…tem que conseguir arrastar muitos outros… O que poderá mudar na sociedade se o Dr Fernando Nobre for eleito presidente da república? Pode denunciar, sensibilizar, mas aqueles que mais arrancam dos cofres do estado vários milhares de euros não se mostraram sensíveis até hoje, pois ainda não vi nenhuma pessoa dessas dizer que iria dispensar parte do seu vencimento ou da sua reforma, pois que não precisava de tanto para viver…Essas pessoas que não apareçam a fazer campanha na nossa frente! Precisamos de exemplos daqueles que estão no poder, na "mó de cima". Enquanto não mostrarem essa coragem e abnegação…NÃO ACREDITO EM MUDANÇAS!Beijinho daNau

  3. Li algures que só em duas profissões ou formas de vida se revê. Professor universitário e médico. Na hora da decisão, ganhou a segunda. Hoje, aos 48 anos, Fernando Nobre, presidente da AMI – Assistência Médica Internacional, afirma que "só em grandes momentos de frustração" sente saudades de exercer a sua especialidade no meio hospitalar universitário. Mas, quanto mais envelhece, mais acredita que fez a escolha certa. Fernando Nobre é o rosto da AMI – Assistência Médica Internacional, organização que fundou há 15 anos e a que actualmente preside. Desde 1984 que a AMI se tornou o centro da sua vida, roubando-lhe o tempo mas enchendo-lhe a alma…Se for eleito Presdente da Republica vai ficar sem tempo para AS SUAS VIAGENS PELO MUNDO, contra a intolerância e a indiferença…Chade, Iraque, Timor, Honduras, Guine Bissau, Colômbia, Senegal, Nepal, Ruanda, México, Geórgia, Palestina, Moçambique/ Nampula (…da minha afilhada MARIANA)…etc, etc, etc… um Mundo de gente pobre a necessitar dele!!!

  4. Mas por que será que não vi este discurso nos nossos noticiários? Nem grandes manchetes nos jornais???Claro já sei é assunto sem importância……infelizmente são precisos muitos mais discursos deste e dar-lhe o devido destaque para quem sabe um dia se transfomarem em actos…..Um grande beijão querida!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s